Supermercados devem vender 14,9% a mais no fim de ano

As vendas de fim de ano nos supermercados no Brasil devem acelerar, mas no acumulado de 2013 o ritmo de crescimento deve ser menor do que no ano passado, previu nesta terça-feira a Abras, entidade que representa o setor. A Abras, entidade que representa o setor, estimou nesta terça-feira avanço de 14,9% para as vendas no período de festas, na comparação com igual etapa de 2012, com destaque para frutas importadas e bebidas.

As vendas de fim de ano de 2012 haviam crescido 14,4% ante igual etapa do ano anterior. "O supermercadista está confiante em relação às suas vendas no fim de ano, prevendo crescimento em todas as categorias típicas do período", afirmou o vice-presidente da Abras, Marcio Milan, em nota à imprensa. Entre meados de novembro e dezembro, os produtos com maior expectativa de elevação nas vendas são as frutas especiais importadas (+17,1%), seguidas por bebidas natalinas (+15,9%) e cervejas (+15,3%).

"O crescimento de encomendas de frutas especiais importadas mostra também que as oscilações cambiais ocorridas em agosto não chegaram a afetar de forma significativa as compras do setor", observou o vice-presidente da Abras. Além disso, o arrefecimento da inflação também ajudou a melhorar as estimativas em relação ao resultado anual, afirmou o gerente de economia da entidade, Flávio Tayra. "Existia expectativa muito negativa em relação ao controle da inflação e isso foi revertido", disse.

Também citando a manutenção dos níveis de emprego e aumento do rendimento médio, a Abras agora prevê que o crescimento das vendas reais em 2013 fique entre 4 a 4,5%, ante avanço de 4% apontado no último mês, quando já havia revisto suas estimativas para cima. Apesar disso, Tayra ressalvou que o setor diminuiu o ritmo em relação aos últimos anos, afetado pela desaceleração econômica do país. Em 2012, o crescimento das vendas chegou a 5,3 por cento, "patamar que dificilmente será repetido". Em setembro, as vendas reais dos supermercados no país subiram 4,81% ante igual mês de 2012. Na comparação com agosto houve queda de 5,12%, informou a Abras, atribuindo o recuo à forte base de comparação mensal.

No acumulado de janeiro a setembro, o aumento chegou a 4,94%. Como as vendas do último trimestre de 2012 foram fortes, a Abras acredita que o setor deve encerrar 2013 com crescimento abaixo deste percentual.

Preços

O preço médio da cesta AbrasMercado, com 35 produtos de amplo consumo pesquisados pela GfK, teve alta de 6,88 por cento nos 12 meses até setembro e caiu 0,92 por cento sobre agosto, passando para 352,57 reais. Os produtos que tiveram maiores quedas de preço na comparação com agosto foram batata (-21,64 por cento), cebola (-12,43%) e tomate (-11,94%). As maiores altas foram leite em pó integral (+3,77%), farinha de trigo (+3,41%) e frango congelado (+2,28%). Segundo o diretor de relacionamento da GfK, Marco Aurélio Lima, o preço da cesta deve manter estabilidade nos próximos meses, encerrando o ano em linha com a inflação.

Em pesquisa separada, a Abras afirmou que o volume de mercadorias vendidas teve retração de 1% no acumulado do ano até agosto, de acordo com dados bimestrais da Nielsen. O recuo foi puxado principalmente pelas bebidas alcoólicas, com queda de 3,9% na comparação anual. "Em algumas categorias, as empresas estão compensando a queda no volume com ajuste de preços", disse Fábio Gomes da Silva, gerente de atendimento da Nielsen. Na pesquisa que mediu as expectativas para a temporada de final de ano, os supermercadistas estimaram que o produto com maior variação de preço em relação a 2012 será a cerveja, com elevação de 11,9%.

Com informações da Agência Reuters e do Portal Administradores.com.

 


Fale Conosco

Av. Fernandes Bastos, nº 348 - CEP 95590-000. Tramandaí/RS

Fone(s): (51) 3661-1265 / (51) 9858-54166

ocnascimento@ocnascimento.com.br

Localização

mapa